A alfabetização da criança é um ponto muito importante no contexto da educação. E quando se trata do nosso filho, perceber que ele já é capaz de escrever as primeiras palavras e ler é um motivo de orgulho e alegria. Mas, os pais devem ter bastante cuidado para não antecipar etapas. Afinal, é preciso lembrar que a alfabetização é apenas um dos diversos aspectos do desenvolvimento infantil e não há motivos para pressa. O que os pais podem fazer no período de pré-alfabetização, é preparar o terreno, oferecendo estímulos para a criança aprender a ler e a escrever de maneira natural, respeitando os limites de cada uma delas.

Neste post, vamos dar algumas dicas de como fazer isso. Você vai ver que é fácil despertar na criança o desejo de saber mais e transformar a leitura e a escrita em momentos prazerosos, sem pressa…

Métodos de alfabetização variam

Estudos comprovam que, ao contrário do que se pensava há alguns anos, a alfabetização não precisa ocorrer aos 4 ou 5 anos de idade. Tanto é, que cada escola escolhe seu método de alfabetização, sendo que você deve conversar com os professores sobre este assunto.

Os pais não devem ficar ansiosos e comparando os filhos com outras crianças. Este comportamento pode atrapalhar um processo que, como já dissemos, é natural e na hora certa, acaba se concretizando. Não dê bola para aquela vizinha que insiste em comentar contigo que o filho dela já lê tudo com apenas quatro anos. Parabenize-o e explique que esta não é uma preocupação sua e que o seu filho também vai apender, mas no momento dele.

5 dicas para estimular a alfabetização da criança sem pressa

1 – Momento da leitura

Ler histórias infantis é de fundamental importância porque é um jeito delicioso para a criança ter contato com um universo ilimitado de informações. Nessas horas, ela aprende sobre animais, natureza, relacionamentos, sentimentos, enfim um mundo de coisas importantes. Procure escolher os conteúdos de acordo com a idade dos pequenos. E para estimular que ele comece a aprender as primeiras letrinhas, sente ao lado dele, de modo que ele não só ouça, mas veja as páginas o tempo todo. Você pensa que ele vai só olhar as ilustrações, mas não. Ele começa já a perceber o desenho de cada letrinha.

2 – Vamos cantar? 

A variedade de músicas infantis é grande. Cante com seus filhos desde aquelas canções que você aprendeu na infância até as mais recentes. Repare que eles curtem, também, algumas músicas “de adulto”. Desde que tenham letras apropriadas para a idade deles, aproveite para entretê-los com isso. Nas palavras iniciais da música, explique qual sílaba é igual ao nome deles. Por exemplo, no Parabéns a Você, o “parabéns” começa com a mesma sílaba do nome Paulo. Eles, assim, vão fazendo associações de sons.

3 – Escrevendo juntos

Que tal você fazer um diário com seu filhote? Escreva ao lado dele, quais foram as atividades do dia – de forma bem reduzida, para ele não se cansar – e vá lendo em voz alta. Ele vai vivenciando o ato de escrever, enquanto curte a voz da mãe ou do pai. É uma tarefa simples e rápida, mas que causa um bom efeito. 

4 – Que nem gente grande

Aproveite todos os momentos para colocar seu filho em contato com a escrita, mesmo quando ele ainda não sabe ler. Criança se sente muito bem quando é chamada para fazer coisas que somente os adultos fazem. Dê na mão dele a lista de supermercado, por exemplo. Ao encontrar um dos produtos da lista, peça para ele colocar um ao lado do outro – a lista e o produto -, para ver se é a mesma coisa. Claro que não dá pra fazer isto com a lista toda, mas se fizer com algumas compras, já serão aprendizado e divertimento garantidos.

5 – Passeios instrutivos

No caminho para a casa da vovó ou durante uma viagem mais longa, invente uma brincadeira relacionada com a escrita. Por exemplo, peça para a criança encontrar nas placas das ruas letras do seu próprio nome. Se isso ainda for difícil pra idade dele, troque as letras por desenhos. Arrisque pedir que ele encontre uma bola, por exemplo.

Gostou das dicas? Conte pra gente como você faz para estimular os seus filhos a aprender a ler e a escrever!

Conteúdo produzido por Colégio Tableau Taubaté