Blog

Como lidar com a chegada do irmão

por 4 de outubro de 2017 Não há comentários

 

Eles pedem por um irmãozinho, mas, quando o novo bebê chega, muitas vezes as reações são inesperadas. Por isso é importante saber como lidar com a chegada do irmão e como preparar o filho mais velho. É preciso muito amor, compreensão e tomar algumas atitudes para diminuir o impacto que a novidade pode trazer ao primogênito.

Preparando para a novidade

Mesmo sem saber da gravidez da mãe, o primogênito passa a ficar mais manhoso, dependente e grudado na mãe. Isso porque as crianças têm uma sensibilidade muito aguçada. Diante desse fato, é importante contar a novidade para ele logo no início da gravidez e começar a prepará-lo para saber como lidar com a chegada do irmão.

O ideal é explicar que o irmão virá para lhe fazer companhia e não para tomar o lugar dele. Converse de forma que ele se sinta seguro e amado da mesma maneira como sempre foi.

Estimule a participação do seu filho mais velho na gestação. Assim, ele estará mais bem preparado sobre como lidar com a chegada do irmão. Veja como fazer isto:

  • Convide-o a fazer carinho na barriga;

  • Envolva-o na compra e na arrumação do enxoval;

  • Comente que, no início, os bebezinhos dão muito trabalho e que você precisará da ajuda dele para cuidar do irmão e dar conta de tudo;

  • Reforce as qualidades do seu filho durante a gravidez para que ele mantenha sua autoestima.

Mas, como lidar com a chegada do irmão?

Prepare-se porque mesmo com todo o trabalho que você pode fazer durante a sua gestação, certamente surgirão reações que exigirão paciência, amor e técnicas para serem amenizadas. Afinal, o mais velho geralmente ainda é muito criança para ter total domínio sobre como lidar com a chegada do irmão. Veja como você poderá agir em cada uma das situações abaixo.

Ciúmes:

Tolerância sem perder o controle é do que você precisará para contornar o ciúmes que o bebê causará no irmão mais velho. É importante manter a rotina e as brincadeiras na medida do possível, evitando ainda mais mudanças e novidades. O mais velho precisa sentir a segurança de que tem seu espaço preservado dentro da família.

Ao invés de criticar as atitudes negativas, elogie as positivas. Isso fará com que ele perceba que é importante fazer a coisa certa.

Choro sem motivo, birras, regressão e até pequenas agressões ao irmão mais novo são algumas das reações que o ciúme provoca. É necessário que os pais saibam como conduzir cada uma dessas situações para que a adaptação ocorra no menor espaço de tempo possível.

Intensificar a atenção com o filho mais velho enquanto o bebê dorme e manter a rotina de alimentação, chegada da escola, tarefas, passeios e brincadeiras amenizará um pouco o impacto das mudanças e da exigência de atenção por parte do caçula.

Agressividade:

O ciúme pode levar à agressividade contra o irmão menor. Portanto, fique muito atenta e, se acontecer, administre com serenidade e firmeza. Converse com a criança, peça para ela expressar o que está sentindo e estabeleça critérios de ação/consequência para eliminar recorrências.

Regressão:

Voltar à chupeta, pedir mamadeira e falar como bebezinho são formas de regressão utilizadas pelo mais velho para exigir a mesma atenção que os pais passam a dar para o irmão menor. Cabe aos pais, com muito diálogo, mostrar o valor da fase em que ele está. Liste as vantagens que a criança tem em relação ao bebê. Garanta que seu filho maior entenda que, mesmo sem toda a dependência, ele tem seu espaço garantido na casa – e o mais importante, no coração dos pais.

Escola:

Caso o seu filho mais velho ainda não esteja na escola e você pretenda colocá-lo com a chegada do irmão, é melhor fazê-lo ainda no início da gestação. Além de evitar o sentimento de que os pais o estão rejeitando para cuidar do menorzinho, ele vai aprender – por meio do convívio com outras crianças – a dividir, compartilhar e entender que não é o centro do mundo. A escola também dará a oportunidade para ele se tornar mais independente.

Caso já frequente a escola, fique atenta a possíveis alterações no comportamento, queda no rendimento, mudanças na interação com colegas e em sala de aula. Essas podem ser algumas das reações negativas relacionadas ao irmãozinho. Tente ao máximo, como já dissemos, manter a rotina que já existia: buscar e levar para a escola, acolher na chegada e ajudar com as tarefas de casa.

Tratado da maneira correta, com muito diálogo, amor e paciência, em um curto espaço de tempo, seu filho mais velho aprenderá como lidar com a chegada do irmão, o irmãozinho mais novo será bem aceito, e os dois se tornarão grandes amigos.

Você já lidou com esta situação de ensinar uma criança sobre como lidar com a chegada do irmão? Divida sua experiência com a gente!

Quer conhecer algumas atividades da nossa escola? Veja nossos vídeos!