Nutrição na escola. Coxinha no lanche, pode?

A nutrição na escola é fator importante nos âmbitos da educação e do pleno crescimento e desenvolvimento intelectual das crianças. Alimentação saudável é um cuidado que se deve ter ao longo da vida toda! Afinal, o alimento é a base para nossa sobrevivência, saúde e bem-estar. Sabemos da importância da alimentação saudável na infância, que é quando os hábitos são introduzidos e internalizados. A alimentação dos pequenos em idade escolar deve ser um esforço conjunto entre pais e escola. 

Alimentação saudável na infância

Muitos são os cuidados com a alimentação dos bebês. Esses cuidados não cessam no momento em que a criança passa a conhecer os alimentos e fazer suas escolhas.

Nos primeiros anos de vida, o desenvolvimento físico, cognitivo e psíquico ocorre mais rapidamente e a alimentação terá repercussão na vida futura tanto para o bem, quanto para o desenvolvimento de sequelas ou obesidade. Os sistemas muscular, nervoso e respiratório continuam seu amadurecimento na fase entre os 2 e 6 anos, e, embora muitas vezes as crianças passem a comer menos, é importante uma dieta balanceada.

O papel dos pais é essencial no desenvolvimento da alimentação saudável nas crianças, desde a amamentação – que promove a nutrição essencial para os bebês – até a formação de hábitos alimentares saudáveis. Hábitos estes que serão adquiridos por meio da ação dos pais e de programas de nutrição na escola.

Hábitos saudáveis são formados com atitudes como:

  • Oferecer sempre alimentos nutritivos, como legumes e frutas, que são ricos em vitaminas, minerais e demais nutrientes, ao contrário de alimentos processados com alto teor de açúcar, conservantes e gordura;
  • Estar atento a sinais de fome e de saciedade, para que a criança não seja alimentada demais ou de forma insuficiente;
  • Tornar o momento da refeição agradável e sem distrações;
  • Estimular a atividade física;
  • Dar o exemplo, alimentando-se de forma correta e saudável. É importante que os pais também se alimentem de forma saudável e estimulem trocas de alimentos pobres, como uma coxinha no lanche, por exemplo, por um sanduíche natural que é muito mais saudável;
  • Procurar instituições de ensino que tenham um programa de nutrição na escola.

Educação alimentar

A educação alimentar é a melhor forma de prevenir doenças. Nos últimos anos, temos visto o crescimento de casos de crianças de até 4 anos com diabetes, segundo dados da Organização Mundial da Saúde. Na década de 90, uma em cada 15 mil crianças era portadora da doença. Hoje, já acontece em uma para cada 8 mil. Isso se deve a fatores genéticos, mas principalmente ao contato precoce com alimentos artificiais, com alto teor de açúcar, corantes e conservantes.

O exemplo é uma das melhores formas de educar as crianças a ter bons hábitos alimentares. Não é necessário radicalismos, como proibir totalmente as guloseimas, por exemplo, mas deve-se mostrar por que elas devem ser consumidas de forma moderada.

Refeições planejadas, coloridas, divertidas e equilibradas se tornam atraentes para as crianças. Alguns combinados, negociando recompensas, também ajudam quando a rejeição à alimentação aparece.

A alimentação e o desenvolvimento cognitivo

De acordo com estudos realizados pela Tufts University, mundialmente reconhecida por seus estudos relativos à educação, comprovam que crianças bem alimentadas tiram notas melhores que aquelas alimentadas com junk food. É necessário introduzir alimentos que fazem o cérebro funcionar melhor, com nutrientes e minerais que possuem papel importante no sistema nervoso central. Veja o poder de alguns alimentos:

  • Ovos – ajudam a produção do neurotransmissor acetilcolina, usado na memória;
  • Peixes com ômega 3 – são lubrificantes do cérebro e também aumentam a produção de neurotransmissores;
  • Frutas e óleos vegetais – são antioxidantes e atuam como neuroprotetores;
  • Carboidrato – produz energia para o cérebro;
  • Proteínas – geram o triptofano, que atua na performance cerebral.

A relação entre nutrição na escola e em casa e desenvolvimento cognitivo é bastante estreita. Os alimentos têm três finalidades básicas:

  • Fornecer energia para o organismo realizar as atividades e funções internas e manter a temperatura corporal ideal;
  • Construir, no período da infância e adolescência, vários tecidos e órgãos, além de manter o crescimento e renovar os tecidos e células, permitindo o desenvolvimento físico, de linguagem, emocional e cognitivo.
  • Proporcionar ao organismo as substâncias que irão protegê-lo de doenças infecciosas.

Nutrição na escola 

A escola do seu filho tem algum programa de nutrição? É essencial que as escolas além de orientar e trabalhem em conjunto com os pais para garantir uma alimentação saudável, tanto na escola como em casa.

No Colégio Tableau Taubaté, há projetos aplicados na educação infantil voltados para a conscientização dos pequenos sobre a importância da boa alimentação e nutrição. Os projetos vão do Horta, em que a valorização do meio ambiente e de uma alimentação saudável se torna parte desde a horta, até aulas de Culinária, nas quais é introduzida a educação nutricional aliada à diversão e à gastronomia.

O projeto de Culinária envolve as crianças do maternal ao 1º ano. A nutricionista visita a escola mensalmente e dá aulas de culinária, apresentando novidades aos alunos. Além disso, do 2º ao 5º ano, acontece a “blitz da nutri”, programa no qual a nutricionista Barbara Silva avalia as lancheiras dos alunos do ensino fundamental e orienta sobre os lanches que foram trazidos, levando-os a refletir sobre o valor nutricional do que estão consumindo.

Se você gostou do artigo de hoje, descubra como os projetos da escola Tableau Taubaté contribuem para o desenvolvimento global dos alunos!

Recommended Posts

Leave a Comment